Arquivo do blog

domingo, 15 de julho de 2018

EVANGELIZAR É UM DOS MAIORES DESAFIOS DOS CRISTÃOS...


Homilia do 15°Dom do tempo comum (Mc 6,7-13)(15/7/18).

Caríssimos, sem sombra de dúvida Evangelizar para nós cristãos é missão de toda vida, pois o Evangelho é a única regra que o Senhor nos deu para o seguimos rumo à plenitude de sua glória. Todavia, precisamos compreender que viver o Evangelho em todos os tempos sempre foi um dos maiores desafios que os cristãos enfrentram, haja vista que, aqueles que não entram pela "porta estreita" da salvação, hostilizam, odeiam e rejeitam os que entram por ela, e o resultado são as violentas perseguições de cunho ideológico, religioso, midiático, etc.

Caríssimos, porque será que Deus tem sido tão paciente com a humildade à ponto de aceitar que sacrificasse Seu Filho amado, inocente e digno de toda honra e louvor? Só tem uma resposta à ser dada, porque nos ama e perdoa os nossos pecados e tolera as nossas recaídas para nos dar uma nova chance de salvação; caso contrário já teria dado um basta como o fez com Sodoma e Gomorra, que apesar da intercessão de Abraão, não se converteram e por isso o Senhor não encontrou nelas nem cinco justos que as poupassem da destruição .

Sinto muito em dizer isso, mas essa humanidade que aí está se encaminha à passos largos para o abismo sem fim de suas maldades, isto por causa de sua desobediência e rebeldia à verdade que as podia salvar. Com efeito, disse o Senhor: "E, quando vier o Paráclito, o Espírito da verdade, convencerá o mundo a respeito do pecado, que consiste em não crer em mim. Ele o convencerá a respeito da justiça, porque eu me vou para junto do meu Pai e vós já não me vereis; ele o convencerá a respeito do juízo, que consiste em que o príncipe deste mundo já está julgado e condenado."

Portanto, o Espírito Santo já veio no dia de Pentecostes, o Evangelho já foi anunciado à todos os povos do universo, os falsos cristos já se encontram em ação por todos os confins da terra, a Igreja é abertamente perseguida em todo o mundo; desse modo, os sinais da segunda vinda de Cristo são claramente visíveis; quanto à nós, de nossa parte, devemos nos preparar urgentemente para o grande e terrível dia do Senhor.

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria OFMConv.

sábado, 14 de julho de 2018

Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais."


PEQUENO SERMÃO DE CADA DIA (Mt 10,24-33)(14/7/18)

"Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais."

Caríssimos, ser enviados por Deus para cumprir a missão de nossa vida, significa realizar a sua vontade, pois foi para isso que o Senhor nos criou. Ao sentir-se chamado o Profeta Isaías, viu-se totalmente indigno por causa de seus pecados, mas o Senhor o perdou, purificando seus lábios, e dando-lhe sua autoridade o enviou a proclamar sua Palavra Eterna.

Com efeito, no Evangelho de hoje, Jesus também envia os seus discípulos os alertando para se manterem como enviados e nunca se porem na vida acima de seu Mestre e Senhor, pois, disse, Ele: "O discípulo não está acima do mestre, nem o servo acima de seu senhor. Para o discípulo, basta ser como o seu mestre, e para o servo, ser como o seu senhor." Todavia, acrescenta: "Se ao dono da casa eles chamaram de Belzebu, quanto mais aos seus familiares!"

Caríssimos, a prática da fé já é a prática da vida eterna, porque se fundamenta na Palavra que Deus fala como realização dos seus desígnios. Ora, ao enviar seu Filho, Jesus Cristo até nós, Ele o fez para que seguindo-o vivêssemos como seus filhos a caminho dos céus como participantes do seu Reino. Por isso, Jesus nos recomenda: "Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma! Pelo contrário, temei aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno!"

Portanto, sua Palavra é a garantia de que somos guardados por Deus ainda que sejamos martirizados, pois assim afirmou o Senhor: "Não se vendem dois pardais por algumas moedas? No entanto, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do vosso Pai. Quanto a vós, até os cabelos da cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais."

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria OFMConv.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

SEREIS ODIADOS POR CAUSA DO MEU NOME...


PEQUENO SERMÃO DE CADA DIA (Mt 10,16-23)(13/7/18).

Caríssimos irmãos e irmãs, é terrível viver neste mundo sem o amparo das graças de Deus, simplesmente por rejeitá-las por meio de comportamentos que não condizem com o bem viver que essas mesmas graças proporcionam. Pergunta-se, mas porque isto acontece? Eis a resposta: "Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduzem à perdição e numerosos são os que por aí entram. Estreita, porém, é a porta e apertado o caminho da vida e raros são os que o encontram."

De fato, creio que não há resposta mais convincente que esta, ainda que alguém a queira contestar; isto porque, o caminho do discipulado cristão é feito de arrependimento e conversão, pois, sem estas atitudes sinceras de alma não existe perdão, reconciliação e comunhão com a vontade do Senhor. De certo, na primeira leitura de hoje Deus faz um apelo de retorno ao povo para que volte a reinar a paz entre eles: "Vós todos, encontrai palavras e voltai para o Senhor; dizei-lhe: “Livra-nos de todo o mal e aceita este bem que oferecemos; o fruto de nossos lábios."

Reconhecer os próprios erros, arrenpder-se deles e corrigi-los são meios que satisfazem a misericórdia divina e nos enche de alegria verdadeira pelo retorno à consciência limpa, como reza o salmists de hoje: "Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! Na imensidão de vosso amor, purificai-me! Lavai-me todo inteiro do pecado, e apagai completamente a minha culpa! Criai em mim um coração que seja puro, dai-me de novo um espírito decidido. Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!"

Caríssimos, no evangelho de hoje, Jesus nos ensina que o fato de vivermos em comunhão com Ele não nos isenta das perseguições até mesmo dos nossos familiares ou também daqueles que dizem professar a fé; pelo contrário, seremos perseguidos por termos decidido segui-lo fielmente até o fim. Todavia, temos de sua parte a garantia de sermos porta vozes do Espírito Santo que falará em nós como outrora falou aos nossos pais pelos profetas.

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria OFMConv.

quarta-feira, 11 de julho de 2018

DISCÍPULOS DE CRISTO...


PEQUENO SERMÃO DE CADA DIA (Mt 10,1-7)(11/7/18).

"Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’”.

Caríssimos, a vida natural é um reflexo da vida eterna, isto porque ela existe exatamente com essa intenção; Deus é eterno e tudo criou para a eternidade, por isso, trazemos naturalmente todos os volores eternos que nos qualificam para a vida que não tem fim. Aqui precisamos entender o protagonismo que a Palavra de Deus exerce sobre tudo o que Ele criou, pois criou com o poder de Sua Palavra dita e realizada.

Com efeito, viver essa dimensão da nossa existência com a esperança da felicidade de ver a Deus face a face no céu, não tem comparação alguma com tudo o que possa existir aqui neste mundo. Mas, ao invés de vivermos essa graça que nos é dada, muitos, pelo contrário, são apegados às coisas deste mundo e fazem delas ídolos e os colocam no lugar que é só de Deus em suas almas; com isso, cultivam o vazio existencial e a falta de sentido de vida, como vimos na primeira leitura.

No Evangelho de hoje, Jesus escolheu doze discípulos dentre centenas deles, depois de passar a noite em oração diante do Pai. Daí percebemos que para segui-lo é preciso ser escolhido e corresponder à essa escolha com a fidelidade que lhe é devida. De fato, todos somos ovelhas do Seu rebanho, mas dentre nós o Senhor escolhe aqueles que conduzirão com Ele esse mesmo rebanho. Por isso, nunca podemos esquecer que somos ovelhas ainda que escolhidos para estarmos à frente do redil do Senhor cumprindo a missão que Ele nos dá.

Sabemos que o discipulado de nosso Senhor Jesus Cristo, requer renúncia e dedicação total à Ele por amor aqueles que serão salvos, por isso, muitos são chamados, mas poucos os escolhidos. Portanto, essa escolha se chama serviço como Ele mesmo disse aos seus discípulos: "Todo o que quiser tornar-se grande entre vós, seja o vosso servo; e todo o que entre vós quiser ser o primeiro, seja escravo de todos. Porque o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em redenção por muitos." (Mc 10,43-45).

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria OFMConv.

segunda-feira, 9 de julho de 2018

ATITUDES DE FÉ...


PEQUENO SERMÃO DE CADA DIA (Mt 9,18-26)(09/7/18).

Caríssimos irmãos e irmãs, a vida em estado de graça se assemelha ao Sacramento do Matrimônio, onde a alma é a esposa amada, desposada por Deus seu eterno esposo. De fato, essa é uma bela comparação que eleva em santidade as almas que se mantém fielmente unidas ao seu Esposo Divino, exatamente como vimos na primeira leitura de hoje: "Acontecerá nesse dia, diz o Senhor, que ela me chamará ‘Meu marido’, e não mais chamará ‘Meu Baal’. Eu te desposarei para sempre; eu te desposarei conforme as sanções da justiça e conforme as práticas da misericórdia. Eu te desposarei para manter fidelidade e tu conhecerás o Senhor."

De fato, existe em nós uma necessidade permanente de vivermos em comunhão com o Senhor sem jamais interrompê-la por nada deste mundo, essa é como um rio que depende sempre da fonte que o gerou e o alimenta; caso alguém ou alguma coisa interrompa esse fluxo, indubitavelmente o rio seca e não serve para mais nada a não ser que volte a ser alimentado pela fonte que o gerou. Assim somos nós em relação à Deus, pois temos em Cristo a Fonte perene de nossa vida, porque é Ele quem nos abastece da "água que jorra para a vida eterna." Ou seja, o dom do Espírito Santo.

Caríssimos, o Evangelho de hoje, demonstra bem as afirmações feitas a cima, porém, chamo a atenção para duas atitudes que revelam como o poder de Deus age pelas virtudes que cultivamos. A primeira delas diz respeito ao chefe da Sinagoga, que mesmo tendo recebido a notícia da morte de sua filha, manteve a fé em Jesus prostrado-se humildemente à seus pés rogando a ressurreição de sua filha amada, no que foi atendido prontamente. Essa atitude de fé revela como devemos viver em comunhão com o Senhor, ainda que tudo pareça sem solução.

A outra atitude importante para a vivência da fé, é a da mulher com fluxo de sangue, que mesmo no silêncio de sua oração, alcançou a graça desejada, porque confiou no Senhor para muito além de tudo o que queria interromper a sua vida. Por isso, a resposta do Senhor a manteve em comunhão com Ele que nunca nos abandona, pois nos ama e quer que permanessamos nele para sempre, como Ele mesmo disse: "Todo aquele que o Pai me dá virá a mim, e o que vem a mim não o lançarei fora. Ora, esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não deixe perecer nenhum daqueles que me deu, mas que os ressuscite no último dia."

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria OFMConv.

sexta-feira, 6 de julho de 2018

DEUS NOS CRIOU PARA SERMOS SANTOS...


PEQUENO SERMÃO DE CADA DIA (Mt 9,9-13)(06/7/18).

Caríssimos, quem encontra Jesus nas virtudes eternas que o Espírito Santo lhes concede e nele persevera até o fim, tem a vida eterna. A vida humana sobre a terra é um dos sinais da presença de Deus na criação, pois Deus nos criou à sua imagem e semelhança e nos deu o poder de gerar novas imagens e semelhanças suas e de gerir a obra de suas mãos (cf. Gn 1,28).

Todavia, por causa do pecado, os homens têm manchado essa imagem e semelhança de Deus em si mesmos, e com isso, se condenam às penas eternas impostas como castigo ao maligno e aos seus seguidores. De fato, são tantas atrocidades praticadas pelos homens na face da terra que é impossível não haver uma punição severa para tudo isso.

Na primeira leitura de hoje, o Senhor dá um ultimato à toda humanidade, quando diz por meio do Profeta Amós: "Eis que virão dias, diz o Senhor, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir a palavra do Senhor. Os homens vaguearão de um mar a outro mar, circulando do norte para o oriente, em busca da palavra do Senhor, mas não a encontrarão."

Contudo, antes que se cumpra essa palavra na sua totalidade, ainda é tempo de conversão, penitência e salvação, pois no Evangelho de hoje Jesus disse: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. Aprendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. De fato, eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”.

Portanto, viver como imagem e semelhança de Deus e obedecer em tudo à sua Palavra nos leva à felicidade eterna como é a Sua vontade, pois foi para isso que o Senhor nos criou. Então, escutemos a Palavra do Senhor: "Eis que venho em breve, e a minha recompensa está comigo, para dar a cada um conforme as suas obras. O injusto faça ainda injustiças, o impuro pratique impurezas. Mas o justo faça a justiça e o santo santifique-se ainda mais."

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria OFMConv.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

HUMILDADE E FÉ...


PEQUENO SERMÃO DE CADA DIA (Mt 9,1-8)(05/7/18).

Caríssimos, trilhar os caminhos do Senhor para a eternidade, requer obediência e fidelidade à sua Palavra, pois para que o nosso testemunho seja veraz se faz necessário nossa adesão total ao seu plano de amor para nossa salvação. De fato, isso exige de nossa parte determinação e completo desprendimento de todos os nossos apegos mundanos, de todos os nossos planos.

Com efeito, alguém poderá dizer, ora, mas isto não é fácil de se pôr em prática, todavia, a resposta será a mesma que São Paulo deu aos seus catequisandos: "Assim, meus caríssimos, vós que sempre fostes obedientes, trabalhai na vossa salvação com temor e tremor... Porque é Deus quem, segundo o seu beneplácito, realiza em vós o querer e o executar." Ora, sem essa adesão de nossa parte não existe crescimento no estado de graça nem o real conhecimento da vontade do Senhor para a santificação de nossas almas.

De certo, isso requer o testemunho de nossa de fé, isto é, transparecer Cristo para não caímos nos mesmos erros dos exemplos de infidelidade que meditamos na primeira leitura de hoje, onde o rei de Israel e o sacerdote do santuário do rei queriam impedir que a Palavra do Senhor fosse proclamada e vivida por aqueles que precisavam ouvia-la.

No Evangelho de hoje, vimos duas posturas totalmente diversas por parte daqueles que se aproximaram de Jesus. Em sua narrativa o evangelista descreve: "Apresentaram-lhe, então, um paralítico deitado numa cama. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: “Coragem, filho, os teus pecados estão perdoados!” Logo os mestres da lei o acusaram em seus pensamentos de blasfêmia, ao que o Senhor respondeu com a cura do paralítico.

Conclusão: O Senhor tem todo poder sobre o céu e sobre a terra, mas é preciso acolher o seu poder com fé e humildade de coração, porque sem essas virtudes não existe sincera adesão ao Seu plano salvífico; pelo contrário, existe rejeição a ele, caindo-se no pecado do orgulho não aceitando o perdão e a cura que Ele veio realizar em todos os que se aproximam Dele.

Paz e Bem!

Frei Fernando Maria OFMConv.

Firefox